Pular para o conteúdo principal

Ed Motta - As Segundas Intenções do Manual Prático (2000)

Neste álbum, Ed Motta insiste num conceito pop, de pelo menos 25 anos atrás. E a música "fica uma delícia de ser ouvida num rádio de pilha sintonizado na AM em uma noite de frio", imagem que inclusive está no release de As Segundas Intenções do Manual Prático, usado para descrever a balada À Deriva]], que tem letra de Zélia Duncan (parceira dos tempos do primeiro Manual). Definitivamente, Ed Motta é muito mais Cassiano do que, por exemplo, Lulu Santos – que, por sinal, assina a boa letra de Pisca Alerta, balanço com metais à la Moacir Santos. Ed Motta, o músico com fixação pelos detalhes, pelas belezas que se encerram em breves passagens. É o burilador que vasculha o passado em busca de petiscos sonoros, não contaminados pelos temperos modernos. Musicalmente, As Segundas Intenções do Manual Prático é impecável: João Donato, Ed Lincoln, o soul da Filadélfia, os saudosos timbres de teclados analógicos, Stevie Wonder, Azymuth, Horace Silver, Steely Dan e tantas outras excelentes referências se encontram numa festa para lá de chique. Colombina com letra de Rita Lee, outra parceira dos tempos do Manual é a coisa mais pop e contemporânea do disco, com sua batida house quase sacrílega. No outro extremo, está Outono no Rio, jazz-ballad com abertura de vibrafone e uma rica orquestração. Entre as duas, estão músicas que trafegam pelo funk setentista com pegada jazzística de um Roy Ayers, diria-se e infiltrações de samba e bossa Marcos Valle, pode ser. Chico Amaral, letrista do Skank, Ronaldo Bastos, Nelson Motta e Doc Comparato ainda dão uma força a Ed Motta nas letras de Segundas Intenções do Manual Prático, mas sua grande realização pessoal no disco parece ser a A Tijuca em Cinemascope, instrumental de clima cinematográfico, homenagem aos grandes trilheiros, como Henri Mancini. Talvez fosse a hora de a gravadora deixar o cantor fazer aquele disco experimental e jazzístico que ele tanto anseia em fazer – esse daqui foi quase lá.

Faixas do álbum:
01. Mágica De Um Charlatão
02. Dez Mais Um Amor
03. Colombina
04. Ela Disse Sim
05. A Deriva
06. Conversa Mole
07. Pisca Alerta
08. Uma Vida Inteira Pra Mim
09. Suddenly You
10. Joia De Magoa
11. Assim, Assim
12. Outono No Rio
13. Drive Me Crazy
14. A Tijuca Em Cinemascope

Download:

136 MB - ZIP - MP3 - 320 Kbps

GDrive - MEGA - Box








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zé Ramalho - 20 Anos - Antologia Acústica (1997)

“Antologia Acústica” é uma coletânea do cantor Zé Ramalho, lançada em 1997. O disco dividido em duas partes, reúne os maiores sucessos do cantor em seus 20 anos de carreira, com canções como “Avôhai”, “Chao de Giz”, “Bicho de 7 Cabecas”, e entre outras. Faixas: CD 1: 01. Avôhai 02. Chão de Giz 03. Beira Mar 04. Vila do Sossego 05. Canção Agalopada 06. A Terceira Lâmina 07. Eternas Ondas 08. Garoto de Aluguel 09. Táxi Lunar 10. Kryptônia CD 2: 01. Frevo Mulher 02. Banquete de Signos 03. Força Verde 04. Admirável Gado Novo 05. Galope Rasante 06. Bicho de Sete Cabeças 07. Mulher Nova, Bonita e Carinhosa, Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor 08. Pepitas de Fogo 09. Jardim das Acácias II 10. Batendo na Porta do Céu [Knockin' on Heaven's Door] Baixar: 165 MB - ZiP - MP3 - 320 Kbps Google Drive - Box - MEGA

O grande encontro - 20 anos (1 CD) (2016)

A quarta edição desse projeto histórico da Música Popular Brasileira, celebra os 20 anos de existência de O Grande Encontro. Já se passaram 20 anos, desde que antigo Ginásio Machadinho, em Natal, recebeu quatro dos mais influentes artistas brasileiros, representantes máximos de toda a força e cultura nordestina. Agora em 2016, três deles voltam a se unir mais uma vez: a paraibana Elba Ramalho e os pernambucanos, Geraldo Azevedo E Alceu Valença. Mesclando um repertório de clássicos da MPB, música nordestina e sucessos dos três artistas, este projeto é a junção de tudo o que houve de melhor das três edições anteriores. E traz ainda três faixas inéditas para enriquecer ainda mais o repertório e um cenário deslumbrante. Esse encontro histórico, que foi eternizado ao final da turnê de 1996 com um show gravado no Canecão (RJ), teve mais dois volumes, sem a presença de Alceu Valença. Agora, duas décadas após o lançamento do projeto que já vendeu mais de 2 milhões discos, Alceu volta a se unir

Roberto Carlos - O Inimitável [1968]

Primeiro disco lançado após Roberto Carlos deixar o programa Jovem Guarda, da TV Record, "O Inimitável" é considerado o álbum de transição do cantor, embora ainda traga todas as características daquele movimento musical. Nesse álbum, Roberto Carlos usou a influência do Funk e da Tropicália para fazer a transição da Jovem Guarda que é conhecida como pós-Jovem Guarda. Logo na faixa de abertura do LP, com a impactante "E Não Vou Mais Deixar Você Tão Só" (composição de Antônio Marcos), nota-se uma mudança, já que álbuns anteriores tinham canções mais ingênuas como ("Aquele Beijo que te Dei", "É Tempo de Amar" ou "Gosto do Jeitinho dela"). Este era um sinal de mudanças no repertório do músico, que gradualmente mudaria seu gênero, passando a priorizar canções mais maduras e elaboradas, seja entrando de cabeça no soul ou seja canções mais profundas e estridentes como "Se Você Pensa" e "As Curvas da Estrada de Santos" do álb